segunda-feira, 21 de novembro de 2011

JÁ EXPERIMENTARAM REMAR CONTRA A MARÉ?

Decidi, com um conjunto de companheiros de Partido que comungam de princípios e valores idênticos, avançar com a elaboração de uma lista de Cascais para a Assembleia Metropolitana de Lisboa do PSD para as eleições de 19 de Novembro de 2011.
Naturalmente esta minha decisão prende-se com o facto de apoiar Jorge Paulo Roque da Cunha nas eleições para a Distrital de Lisboa do PSD e porque, sendo assumidamente crítico à forma como o Município de Cascais e o PSD de Cascais e no Distrito estão a ser geridos por Carlos Carreiras e alguns seguidores, abrir a oportunidade de que alguns descontentes marginalizados pelo aparelho partidário em Cascais pudessem ter espaço de afirmação.
Esta manifestação de liberdade e de democracia, ousar fazer uma lista contra os detentores do poder quase absoluto em Cascais, revelou-se um autêntico filme épico.
E porque algumas “situações” vividas nos últimos dias são tão rascas, tão vis e acima de tudo tão reveladoras de ausência de valores e espírito democrático, não resisto a partilhar aqui, à laia de desabafo.
Sabemos que esta lista é um espinho cravado na aura do actual Presidente de Câmara. Para quem se vangloria de mandar em Cascais como nunca ninguém conseguiu, ver surgir apenas em Cascais e Lisboa listas antagonistas às apresentadas pelo candidato a seu sucessor na Distrital de Lisboa do PSD, Miguel Pinto Luz, é convenhamos, um duro golpe na soberba a que já todos nos habituámos.
E porque as pessoas são o que são, uns com nível outros sem, uns respeitadores do jogo democrático e outros não, uns íntegros e outros assim assim, houve de tudo.
A apresentação da lista por mim encabeçada decorreu no dia limite regulamentar, na quarta-feira, 16 de Novembro, mas com uma nuance: a entrega e verificação da lista foi efectuada no Bar do Casino do Estoril!...
 E no dia seguinte, muitos dos elementos da minha lista estavam a receber um telefonema de admoestação, de pressão, de intimidação, efectuado pelo companheiro de Partido Dr. Nuno Piteira, que é também o Vereador com o pelouro financeiro da Câmara Municipal de Cascais. Quinta feira terá sido um dia pouco produtivo do Senhor Vereador no que ao trabalho municipal diz respeito mas no papel de “intimidador-mor” foi bem sucedido.
De repente “choviam” mails de pessoas a pedir para retirar a sua folha de subscrição da lista B com os argumentos mais rebuscados que se possam imaginar.
Mas também telefonemas do tipo, “… tem consciência que se está  a candidatar contra a lista do Senhor Presidente de Câmara?!...” que obtiveram como resposta “Dr. Piteira, isso da lista única era no tempo da outra senhora!” apanharam gente mais frontal e acima de tudo sem medo das represálias que, não tenho a mais pequena dúvida, vão existir!
Há uma análise comparativa que vale a pena ser feita.
Quantos funcionários da CMC estão na lista A e quantos estão na Lista B?
Quantos funcionários e avençados das empresas municipais e das agências estão na Lista A  e quantos estão na Lista B?
Quantos autarcas das Juntas de Freguesia estão na lista A e quantos estão na Lista B?
Quantos pessoas ligadas a empresas com negócios com a CMC ou com pretensões a tal estão na Lista A e quantas estão na Lista B?
A lei do medo tomou conta do PSD em Cascais. As pessoas têm medo das represálias, dos castigos que serão inexoravelmente aplicados a quem não está com o chefe!
Muitas que convidei para integrar a Lista B me confirmaram que o que os impedia de aceitar eram as consequências que iriam sofrer se o fizessem!
Tenho para mim que o poder pelo medo faz apodrecer as estruturas. Mais tarde ou mais cedo cede.
Pois que seja mais cedo!
Ah, e o momento na cabine de voto é tão pessoal tão sozinho, tão sem testemunhas…
Fica no entanto o sinal que pelo menos 62 militantes, tantos quantos integraram a lista B por mim encabeçada, não têm medo de assumir a sua discordância da corrente dominante. É um princípio!
A lista B obteve 105 votos contra 269 votos da lista A.
Não me sinto confortável em partilhar este exemplo de podridão em “sinal aberto” a todos quantos queiram ler estas linhas.
Este relato é mais uma prova da vassourada que os Partidos precisam de levar, varrer dali para fora quem está na política sem princípios e sem valores.
Mas, fazer como até aqui, deixando que este tipo de situações sejam geridos internamente nos Partidos sem qualquer tipo de consequências é mau.
Mau para a Política e mau para o Partido.
Há quem defenda que se deve lavar a roupa suja em casa.
Em princípio estou de acordo.
Mas caros leitores, o PSD Cascais avariou a máquina de lavar pelo que vamos ter que a lavar à mão!...