quarta-feira, 10 de maio de 2017

CASCAIS E A FÚRIA DAS OBRAS







Cascais, desde o início do ano virou estaleiro.
As obras sucedem-se numa fúria avassaladora, rumo às inaugurações que decorrerão, não é difícil de adivinhar, imediatamente antes das eleições.
Dirão os apoiantes da coligação no poder que “aí está um executivo que faz obra” para demonstrar aos detractores que em Cascais, para além das Festas também se asfalta, executam estradas, jardins e parques de estacionamento.
Os mais distraídos, poderão ficar com a ideia que esta Câmara até fez umas coisas neste mandato e no dia das eleições usar aquela ideia “bem estes até fizeram alguma coisa, dos outros não sabemos do que serão capazes portanto…”
Para quem siga com atenção a actuação do actual executivo da Câmara de Cascais só pode estar preocupado com tudo a que estamos a assistir.
Obviamente que se espera e deseja que a Câmara de Cascais, como todas as outras, deve em cada momento realizar obras novas ou de conservação como resposta às necessidades e a qualidade que os munícipes esperam que os concelhos onde vivem lhes garantam.
Mas se o exercício de uma gestão de uma câmara é de 4 anos, é razoável acreditar-se que um bom gestor garantirá que os investimentos serão realizados ao longo desse período.
Se o gestor resvalar para a politiquice até pode guardar as coisas mais emblemáticas para mais perto das eleições para que fique na lembrança do eleitor.
Mas Carlos Carreiras insiste numa gestão à Sócrates.
Gastou o que tinha em Festas e foguetes, conferências e corridas de barcos durante os primeiros 3 anos e agora anda à lufa lufa a fazer obra em tudo o que é sítio!
Como “gestor” que até parece que é a formação que tem, “torrou a massa toda” e agora faz obra com dinheiro emprestado.
Nos próximos mandatos, ele ou outro que venha a ganhar as eleições, tratará de pagar o que ele gastou!
Quer dizer, ele ou o próximo assinarão a ordem de pagamento porque o dinheiro, o do empréstimo e os juros, saem do dinheiro dos nossos impostos!
É constrangedor!
É constrangedor que nos tempos de hoje se assista a este “tipo de gestão” e é constrangedor que os munícipes entendam este tipo de comportamento como normal e não se revoltem ou reajam de forma bem visível demonstrando o seu desagrado pela forma como é esbanjado o dinheiro dos nossos impostos!
Há por vezes a ideia que se tenta passar que no primeiro ano é para ter uma ideia das grandes obras, mandar fazer os projectos e preparar o arranque das obras nos 3 anos subsequentes de mandato.
É a coisinha mais falaciosa que se pode ouvir!
Primeiro que tudo, embora o habitual é os vários Partidos se candidatarem sem um Programa minimamente definido, por vezes até recorrendo a candidatos que não conhecem bem a autarquia e portanto não conhecem bem os seus problemas, mas no caso presente Carlos Carreiras é autarca desde 2006 (já lá vão 11 aninhos!) pelo que tem mais do que obrigação de conhecer na perfeição as necessidades e as prioridades de obra!
Depois a falta de critério, o atropelo, querer fazer num ano o que deveria ter sido feito em quatro, traz dissabores, obras mal planeadas ou sobrepostas, os desvios e os contra desvios nas estradas do concelho, as falhas de segurança provenientes desta trapalhada toda, um ano de desassossego para os munícipes por culpa exclusiva de termos um Presidente de Câmara e uns Vereadores que em nenhum momento pensam nos seus munícipes, nas suas necessidades, na sua segurança, nos interesses dos seus impostos! Excepto claro, uma vez de quatro em quatro anos em que precisam que alguns deles vão votar e de preferência que não sejam muitos para não haver surpresas…
Já experimentaram passar na estrada Alcoitão Manique Tires? Levem o GPS para fazerem a experiência sem sobressalto!
O desvio do trânsito para a frente da entrada da Escola Salesiana de Manique, de manhã, com centenas de metros de carros em fila, os estudantes a saírem dos carros dos pais e a deslocarem-se para a escola numa estrada sem passeios nem bermas e onde claro já houve acidentes e atropelamentos.
Quem planeou a segurança daquela obra?
A Estrada S. Domingos de Rana - Trajouce é outro bom exemplo.
Está a decorrer a obra da variante da Abóboda, e nisso está a CMC de parabéns, mas a falta de critério das obras que ali têm sido executadas são gritantes!
Dentro da localidade de Abóboda 15 metros de passeio, 30 metros de valeta, depois passeio outra vez na rotunda nova do LIDL e depois desaparece o passeio outra vez.
Depois passeio, terra batida até à paragem do autocarro e depois nem passeio nem nada!
Quem é que planeou esta intervenção?
Foi só conversa de secretária ou foram ao local perceber as necessidades?
Estão a pensar fazer o passeio que falta se a lista da coligação conseguir ganhar a Junta de S. Domingos nas próximas eleições?
A grande solução para a entrada de Cascais com o prolongamento da A5 afinal…
Experimentem passar lá ao fim da tarde, 18h – 19h e depois mandem-me um mail a contar quanto tempo é que estiveram na fila para chegar à rotunda de Birre…
Se isto é o melhor que Carreiras consegue fazer, mandem-no depressa para casa.
Aproveitem as próximas eleições do dia 1 de Outubro e escolham alguém que vos respeite, que vos ouça e que saiba gerir de forma conveniente o dinheiro que entregamos à Câmara de Cascais para que o possa gerir em nosso nome, sob o nosso mandato!